sexta-feira, outubro 28, 2011

Carta ao ''Anónimo''

Ah como eu tenho pena destas pessoas, principalmente daquelas que dizem amar, mas caem na sua própria amargura. Diz que o sentimento da amada não é verdadeiro, mas mal sabe que é o próprio que não tem alma, que não sabe nem ao menos respirar.
Alma amaldiçoada, de um ser destroçado em que um dia já teve meu amor. Ser que se diz superior para julgar o outro. Não sabe olhar seus defeitos, e que não são poucos, só sabe dizer o quanto o outro é impuro, irreal.

Maldição que foi jogada, mas que entrou em sua própria vida, que estragou a oportunidade e seu sonho de ter um amor absoluto. Ser que se corroí por dentro por amar uma princesa infernal, como ele mesmo diz. Ser que não sabe o valor real de uma mulher, de uma relação, de um mundo.
A vida não é musica, não é a neve, não é o trabalho, é o amor...
Quem sabe um dia você consiga abrir teus olhos e ver que a sua vida não é mais nada, e nunca mais será.


Geórgia Carone

quarta-feira, outubro 26, 2011

O vazio, a muldidão

As vezes me perco no caminho em meio a escuridão, andando sem rumo, sem saber aonde irei parar...  Sensação de não ser, não sentir, não ver. Ser apenas alguém, sem importância ou motivo, não ter alma. Sensação de corpo cru, nu, com passos vagos, olhares parados, sem brilho, ternura ou amor.
Sentimento quebrado, vazio, impuro, sujo por vez. Olho nos teus olhos e não me vejo mais. Uma princesa do mundo sujo, a beleza destruída,sensação involuntável, nula, irreal.
Sentimento puro e não correspondido? Antes fosse... Não restou nada a não ser os destroços das ruínas, o lixo.
As pessoas ainda insistentes passando ao meu redor, nem se dão mais questão de se desviar, passam tombando como se nem existisse alguém por ali... Uma alma perdida, em meio disso tudo, sem sentimento, sem amor, sem compreensão, definição.

Um alguém, que no amanhã poderá ser você.

Geórgia Carone

terça-feira, outubro 18, 2011

Errado ou o certo?

Esse teu jeito carinhoso, amigo, companheiro é a melhor coisa que pode me aparecer em toda minha vida. Você e tudo que eu queria, mas já me afogo em tuas loucuras. Me sinto pressionada com você por perto, meu coração dispara, perco a noção do tempo, não consigo prestar mais atenção, não vejo mais nada além de ti. É algo inesplicavél, é como se houvesse bombas sob meu corpo prestes a explodir.
Você é o amor e o ódio em um único ser. Tudo que eu mais amo e detesto se encontra em você. Em seu jeito, em tuas palavras...

Toques, olhares, caricias, beijos tudo esta certo, mas... Isso acaba ai... Logo surgem palavras, jeitos errados, e tudo novamente muda.  Estranho ser... Como posso ama-lo e odiá-lo ao mesmo tempo?
No segundo que me beija meu corpo estremece, mas quando isso acaba, sinto que tenho que esganado, que está tudo errado. Correndo em direção ao abismo, quando lhe vejo, a sensação de estar constantemente em uma montanha russa, daquelas bem grandes, aonde seu coração bate forte, da frio no estômago, mas que ao mesmo tempo você não quer ir embora.
Prepotente, alucionogeno, imaturo por fim. Eu te amo, mas tenho que ir embora, pois isso não pode ser o certo.



Geórgia Carone