.:[DeSpair Doll]:.

Por: Geórgia Carone

Home Top Ad

Perdida, como se fosse uma criança no meio do asfalto sem saber onde ir. Olho ao redor. Pessoas passam, caminhos se abrem, se fec...


Perdida, como se fosse uma criança no meio do asfalto sem saber onde ir.

Olho ao redor. Pessoas passam, caminhos se abrem, se fecham. Como se fosse um enorme labirinto em constante mudança, e tudo é tão rápido, tão doido. Não há tempo para pensar, apenas ir, antes que o caminho se feche e você fique preso em meio aos tijolos.

Parada e anestesiada diante tantos caminhos e oportunidades, apenas pedindo que a cada passo não seja em vão. Sou tão pequena neste mundo, mas ao mesmo tempo, o mundo tão pequeno diante minha imensidão.

Tudo gira com tanta velocidade que muitas vezes se quer há tempo para lógicas. Mas, loucura seria se eu soubesse o caminho, que riscos iria enfrentar. Talvez aí esteja a emoção. Como uma fênix, com vários inícios, recomeços e finas; vou passando de rua em rua, sem saber onde irá dar, em busca do que completa essa vontade incontrolável de sentir, ver e tocar.


Geórgia Carone

Sentar em beira lago, ao final da tarde querendo poder ver mais um por do sol. Quem sabe a escuridão me ilumine e diga-me o caminho a segui...

Sentar em beira lago, ao final da tarde querendo poder ver mais um por do sol. Quem sabe a escuridão me ilumine e diga-me o caminho a seguir.


Você consegue ouvir o suspiro? Não é lindo? Você não consegue ver o quanto é esplêndido a dança dos mortos?

Eu consigo ver que você quer.
Vejo você preocupado, querendo ir para longe, mas a vergonha e o amor não permite. Sabe, você deveria parar antes de se afogar. É estanho, porém igual.


Um anjo sem caminho.
Um anjo sangrando.
Um anjo que ama aquilo que mais tenta odiar.

Olhando as estrelas querendo saber se ainda estava viva.

Eu perdi minha alma,
perdi minha mente,
perdi os sentidos.
Tudo se tornou vazio perto das estrelas... E talvez eu tenha visto coisa de mais.

As vezes é emocionante.
E tudo que parece normal, te destrói facilmente..

Deixe me sozinha essa noite.  Deixe-me ir. Deixe-me rastejar com a terra ainda fria em minhas mãos...

A noite era suja mas cheia de vida, e eu não sabia. Era belo, estranhamente belo.
Eu deveria estar longe, mas aqui estou. Minha alma consumida pela eternidade, junto ao seus pensamentos.



Lembro como se fosse ontem a sensação que tive na primeira vez que te vi. Ainda jovem, sem saber o que iria encontrar atrás da porta; o c...


Lembro como se fosse ontem a sensação que tive na primeira vez que te vi.
Ainda jovem, sem saber o que iria encontrar atrás da porta; o coração disparado, mãos que soam frio aumentando a ansiedade e frio na barriga.

Sabia que estava perto, algo me falava que estava muito perto.

 Pular, agarrar, abraçar, beijar... Não sabia o que fazer.
Sua tela ainda com poucos desenhos, me alucina neste momento, cada traço, cada rabisco... E que sorriso maravilhoso... meu deus! Sem dúvidas a coisa mais bela que já vi.

Ao sol... a piscina, a banheira... as estrelas. Qualquer lugar nos encanta. E lá no topo da cidade, quando não há mais nada em nossa volta... a noite se cala diante nossos beijos. 

Uma loucura irreal como foi descrito por amigos. Não nos importa., a intensidade é infinita, surreal, incoerente, ilógico e totalmente estranha a aqueles que não a vivenciam.

Segundos se passam, minutos, dias, meses e anos... a intensidade não muda, percorre as veias e dispara uma adrenalina, como se fosse aquele primeiro dia, aquele primeiro segundo... Aquele primeiro abraço... Aquele primeiro beijo.

Doce andarilho... Aonde quer que você vá; a onde quer que eu vá, sempre terá.. eu e você. 







Página inicial Postagens mais antigas