quarta-feira, maio 25, 2011

Um mês da minha vida...


Um mês da minha vida, se foi, e tudo mudou. A maneira de olhar, de tocar, de acareciar, de sentir, de amar!


Estava a pouco mais de uma quadra de ti e meu corpo estremecia, minhas pernas não se firmavão, meu coração por fim desparou e não sabia mais o que pensar a não ser em teu semblante. Abro a porta e me deparo com vc meio jogado esperando a porta a ser aberta, me olhando, me encarando, por fim me beijando. Não sabia ao certo ainda quem eras, mas já me entregava em seus beijos.

Horas passam e nós ainda ali, entrelaçados olhando a vista, sem ao menos trocar uma palavra, o mundo parava ali, entre o calor dos nossos corpos. Nossos olhares cruzados quentes  de ternura e amor.

Seu cabelo meio comprido, seus olhos castanhos meio fechados, sua pele adocicada, suas tatuagens reluzentes que teimam permanecer em minha memoria, seu cheiro facinante, seu calor, sua mão levemente sobre o meu corpo, sua nitidez, me faz me entregar completamente, loucamente.

Durmo sob teu peito, escutando sua respiração, enquanto me acaricia e me olha com brilho nos olhos de tanto sentimento, e acordo em meio a madrugada e me deparo com o mesmo olhar, mesmo tendo passado horas, o corpo estar cansado. Sua 'vidração' em poder me ver, de poder estar ali naquele momento comigo, é algo inegualavel, surreal! Sua preocupação, sua afeição, sei jeito incontrolável, inconsequente me faz expreimentar um pedaço do céu e do inferno, um amargo meio doce,  um sentimento sem fim!

Em meio a agua, em meio as estrelas, em meio a alma, nos encontramos. Palavras, caricias, demonstrações, afeto e até um pouco mesmo de cerveja, nos une de uma forma pavorosa, incompreendida, que muitos gostam de julgar ou até mesmo compreender mais que só NÓS somos capaz de entender.


Geórgia Carone