sábado, novembro 20, 2010

Anestesia


Sabe quando nos acostumamos tanto a uma situação que não sabemos o que sentir, pensar, agir, ver ou até mesmo crer?

Ficamos totalmente anestesiados, sem nenhuma reação prevista, simplesmente olhamos para o nada e nos deparamos o quando as palavras, os gestos, os sentidos são vagos e que no fundo, a única coisa que realmente nos preenche é o sentimento.

Mas o que fazer quando estamos em um estado que nem mesmo o sentimento consegue se manifestar e tudo que você se lembra deverá ser enterrado para que não haja mais sofrimento? Tornar-nos-íamos de fato vazios, opacos e sem sentido!? 

Dê fato, a Anestesia para muitos dever ser o que mais desejam, veneram saber controlar o que sente, o seu arredor, as pessoas, os passos, quem sabe os sentidos, mas posso lhe garantir que a agonia de ser um coveiro é solitária, irreal, sufocante.

Ah o sentimento... Sentimento puro, sem culpa, idolatrado, de pai, mãe, filha, filho, neto, neta, marido, esposa, quem sabe, amante! Como é bom velo novamente comigo. 

Quem sabe agora sem vagar pelos túmulos eu posso finalmente reencontra-lo ao outro lado.

Como havia escrito há uns anos atrás, ‘o sentimento é o começo da morte de nossos corações’, e só quem ama de fato sabe o tamanho da dor.


Geórgia Carone