segunda-feira, dezembro 08, 2008

Amor Proibido



As vezes eu me sinto como uma tola, por ser algo proibido, como muitos o chamam: 'amor proibido'.

Você fala, eu escuto, quero intender, mas não consigo, como você age comigo é tudo tão real e tão contraditório ao mesmo tempo! Fico noites em claro pensando, o por que, tentando entender, mas não consigo! Preciso de coragem, pois amor nenhum que possa existir que não necessite de coragem! Coragem para conhecer o próximo, de querer intender, de buscar a felicidade em si e no outro! E lhe os garanto isto não é fácil! Por isto digo que este sentimento se tornou nobre, a maioria desiste, prefere sentir paixões de primeiros momentos do que o amor absoluto.
Mas voltando... isto tudo me intriga, me deixa completamente sem saída e reação. Como lhe disse aquele dia quando nós nos beijávamos tenho medo, medo não de tentar e sim de te perder! Sei o que sentes, o que queres, mas eu tenho um enorme defeito, de querer ter certeza, este meu gesto de incerteza complica tudo, mas simplesmente não sei lidar com ele. Peso-lhe desculpas sei o quanto isto é chato. A única coisa que posso dizer tanto a mim quanto para você é: ''O amor não se rouba nem se compra.'' E é esta pequena frase que muitas vezes me tira da 'escuridão' e me faz ver, que eu não posso força-lo, em nenhum momento, nem mudar meu ser *como eu já fiz inconseqüentemente* em busca de algo. Como você disse ontem enquanto citava de coisas do cotidiano: ''O que algum dia for nosso, voltará para nós, não adianta brigar, querer mudar, pois eles simplesmente voltam''.
E é isto que me faz acreditar que os sonhos podem ser reais.


Geórgia Carone

sexta-feira, dezembro 05, 2008

Eu...

Sou chata, insuportável talvez. Tenho um gênio difícil de se conviver. Não me importo com o que você pensa, com o que ele pensa, o que vocês pensam, sou assim e não irei me mudar para lhe agradar um minuto se quer. Já fiz isto e levei na cara. Se não gosta de minha companhia vire-se e vá embora, não dependo de você, e muito menos de sua opinião. Tenho opinião própria, pensamentos próprios, não me deixo me levar que nem você pela mídia, pelas pessoas, pelo governo em fim. Sei aonde posso passar ou não! Sei com quem posso conversar.
Não digo em momento algum que sou perfeita, pelo contrario sei que eu tenho muitos defeitos, mas procuro melhora-los por mim mesma, não preciso me apoiar, dar uma de pobre indefeso como muitos de vocês fazem perante a um erro cometido, ou até mesmo por uma situação de risco. Não tenho medo de arriscar em momento algum, pois quem não arrisca nunca consegue, mesmo eu sabendo que uma vez ou outra eu irei cair, me ferir, não tenho medo de tentar, ousar, ou até mesmo desejar algo desconhecido, invisível talvez, que me tire o folego por vez. Sou o perfeito, o imperfeito, o certo e o errado... Sou apenas eu!

Geórgia Carone