quarta-feira, setembro 06, 2017

Amor ao tumulo

Sentar em beira lago, ao final da tarde querendo poder ver mais um por do sol. Quem sabe a escuridão me ilumine e diga-me o caminho a seguir.


Você consegue ouvir o suspiro? Não é lindo? Você não consegue ver o quanto é esplêndido a dança dos mortos?

Eu consigo ver que você quer.
Vejo você preocupado, querendo ir para longe, mas a vergonha e o amor não permite. Sabe, você deveria parar antes de se afogar. É estanho, porém igual.


Um anjo sem caminho.
Um anjo sangrando.
Um anjo que ama aquilo que mais tenta odiar.

Olhando as estrelas querendo saber se ainda estava viva.

Eu perdi minha alma,
perdi minha mente,
perdi os sentidos.
Tudo se tornou vazio perto das estrelas... E talvez eu tenha visto coisa de mais.

As vezes é emocionante.
E tudo que parece normal, te destrói facilmente..

Deixe me sozinha essa noite.  Deixe-me ir. Deixe-me rastejar com a terra ainda fria em minhas mãos...

A noite era suja mas cheia de vida, e eu não sabia. Era belo, estranhamente belo.
Eu deveria estar longe, mas aqui estou. Minha alma consumida pela eternidade, junto ao seus pensamentos.