terça-feira, dezembro 27, 2011

O meu vazio


Quando tudo se perde ao tempo, e não há mais razoes. O sentimento para, a respiração diminuiu e você finalmente consegue olhar ao espelho e ver o vazio.
Sinta como alguém perdido entre a razão e as vontades, sinta um pouco culpado. Decepções, amores, felicidades, tudo vagando em direção a poção da destruição.
Espero que um dia finalmente eu consiga enxergar e levantar perante toda essa terra. Me torno agora então insensível para sentir seu coração batendo, seu olhar encantador, que me faz delirar. A sensação do nulo, a sensação do perdido. Eu rezo para que tudo possa mudar, e quem sabe eu possa voltar para casa.
Quero sentir vontade novamente, quero poder sorrir novamente. A passagem do preto frente aos meus olhos, a fumaça que me consome e me leva para longe, aos poucos, me faz esquecer. A decepção dos sentidos, dos momentos de tudo que não posso mais ser.
Engraçado pensar como um vazio, como um nada pode ser tão grande, pode consumir alguem por inteiro de um segundo para o outro. Fico a pensar em seu sentimento, se mereço mesmo. Fico a pensar na sua amizade, daquele abraço.... Não consigo mais senti-lo.
Um dia me disseram que não seria nada, que seria o vazio. Me sinto vazia agora, uma rosa negra despedaçando a cada segundo que passa.
Queria mesmo é ter mais um cigarro, acho que seria a única coisa que poderia completar um pedaço em mim. Queria apenas mais uma presença, mais um sentido, mais uma razão talvez.
Penso em como poderia ser, como realmente deveria ser. Se não fosse todo o orgulho, o egoismo, a paixão, fico a imaginar como seria melhor se eu não fosse eu. Pode não fazer muito sentido, mas são estes momentos que você se destrói, corroí e quer fugir de tudo e todos, opiniões, pessoas, de tudo que já te tocou de alguma forma. 
Apesar de já ter vivido coisas maravilhosas, de ter sentidos coisas maravilhosas, de já ter feito coisas maravilhosas, já não me sinto mais maravilhosa, como se tivessem me roubado em algum momento e não tivesse me dado conta. 
Sinto a morte presente a cada pulsação. Não vejo mais beleza nos risos, caricias, como se houvesse uma marcha fúnebre constante dentro de mim. Aquela sensação de quem você gosta muito se foi, e só lhe resta os choros. A sensação de não ser mais nada, a sensação de ser insignificante a tudo.  É a sensação do vazio que me arrasta e que me consome a cada respiração.


Geórgia Carone

1 comentários:

Anônimo disse...

Vou fazer de tudo para que voce sorria sempre minha missao eh t fazer feliz, Amor da minha vida