quarta-feira, outubro 26, 2011

O vazio, a muldidão

As vezes me perco no caminho em meio a escuridão, andando sem rumo, sem saber aonde irei parar...  Sensação de não ser, não sentir, não ver. Ser apenas alguém, sem importância ou motivo, não ter alma. Sensação de corpo cru, nu, com passos vagos, olhares parados, sem brilho, ternura ou amor.
Sentimento quebrado, vazio, impuro, sujo por vez. Olho nos teus olhos e não me vejo mais. Uma princesa do mundo sujo, a beleza destruída,sensação involuntável, nula, irreal.
Sentimento puro e não correspondido? Antes fosse... Não restou nada a não ser os destroços das ruínas, o lixo.
As pessoas ainda insistentes passando ao meu redor, nem se dão mais questão de se desviar, passam tombando como se nem existisse alguém por ali... Uma alma perdida, em meio disso tudo, sem sentimento, sem amor, sem compreensão, definição.

Um alguém, que no amanhã poderá ser você.

Geórgia Carone

1 comentários:

Bassa disse...

"Não fique triste quando ninguém notar o que fez de bom. O sol faz um espetáculo ao nascer e mesmo assim a maioria de nós continua dormindo."

Charles Chaplin

Victor Bassa