segunda-feira, julho 25, 2011

Ao passado

Você dizia me amar, que era a mulher mais importante da sua vida. Me fazia juras de amor, provou o teu suposto amor diversas vezes.. Mas toda vez que você voltava para teus amigos inconsequentes tudo se transformava.
O nosso amor não suportaria, ninguém poderia aguentar.. Brigas, ciumes, possessão, alucinações, temor ao inexistente que se tornava presente em nossas mentes.
Quando estávamos fazendo amor, tudo parava, me sentia em completa ternura e compaixão, mas quando tudo acabava você só sabia olhar em meus olhos me nomeando de palavras fortes e grossas como se eu fosse um pequeno instrumento para você brincar. Quantas madrugadas perdi chorando, rezando querendo que tudo muda-se e pude-se ser como é só quando esta nos dois...
Você volta ao seu trabalho e eu volto ao negro.
Depois de todos os xingamentos ainda tinha coragem de olhar com aqueles mesmos olhos dizendo que se arrependia que eu era sim a mulher da tua vida, querendo que tudo volta-se ao normal, mas era tudo parcial. Logo ainda levaria aquele tapa na cara e cairia por fim mais uma vez em meio ao lixo, para que suplica-se mais uma vez, mesmo sendo inocente sempre queria entender essa sua raiva, loucura que o artomenta.

Meus amigos, minha família, dependendo até mesmo meus cachorros haviam me dito, alertado. Mas o que poderia esperar de uma alma apaixonada em completa tentação e fascinação? Por sorte acordei e vi que aquilo era um ciclo vicioso e sem fim, que só me fazia afastar de tudo o que sou, e dos que me querem bem, e que estava procurando em fim apenas um, que não faz a menor diferença. É aquela simples frase: ''damos valor as pessoas que não merecem'' mas por fim, posso dizer... Isso é apenas o passado.

Geórgia Carone

1 comentários:

Unltd.Sorrow disse...

Aaaaaaaah... veio, essa menina é foda ( não fada xD, ela sabe da historia ). Carai, tenebroso de bom ein... ;D sempre assim coisa loira, continue sempre assim ^^