domingo, julho 10, 2011

Estado de emergência

Não há limites. Me permita entrar em sua mente e te por em um estado de emergência. Farei você suplicar, farei você querer e sentir o indesejável.
Me dê a sua mão e vamos para longe.
Caminhando diante a escuridão sinto a impureza... As trevas entrelaça tudo em mim, preciso de ar, mas não há luz aonde estou.
E quando tudo estiver coberto do mal.
E quando eu ir... O que restará?
E quando tudo acabar?
Sinta e suplique, pelo ultimo dia das  nossas vidas
Um dia nublado, solitário e frio
Um dia que eu preferia esquecer, mas não há como escapar.. A pureza, a inoscencia, se foi. Tudo o que quis desapareceu.
E tudo que eu precisava, era de amor.
Não há limites para o sentimento... Então, quando eu finalmente tocar o céu, quando a brisa bater em minha face e eu perder a razão, sentirei que meu dia chegou.

Geórgia Carone

1 comentários:

Juliana disse...

Gostei gótica,principalmente dessa parte...
'Então, quando eu finalmente tocar o céu, quando a brisa bater em minha face e eu perder a razão, sentirei que meu dia chegou.'

Suave,tocante,poético isso...