quinta-feira, julho 22, 2010

Doce fantasma brincalhão

Sinto algo quebrar o silencio que me rodeia.

A palidez que cobre o semblante, a frieza do tocar.
Os cabelos loiros a quase se platinar.

O olhar inscente, ao toque corrozivo, me fez facinar.
Como um fantasma brincalhão.. O pavor e adoração.

Mas como saber quem és?
Perco-me diante a doce criatura.
Nao consigo ir embora.

Espero me juntar ela. Mas há algo... Algo sombrio que a oculta de tudo.
As percepções humanas não querem dizer mais nada. Ah algo maior...

Venha até mim, doce fantasma.
E sinta-me queimar;


Geórgia Carone

3 comentários:

Anônimo disse...

pow
tenho medo de fantasmas, ainda que sejam brincalhões hehehhehehe

mas ficou bacana!!!

Urso o/ disse...

buuuu buuuu, fantasminha *.*

Estou fitando por horas um algo que está por perto, que está sempre me acompanhando por toda a parte, seguindo-me com os olhos, fazendo de mim a atração das pessoas. Eu sou o seu foco, e não consigo tocar, no meu mais intimo eu, onde me escondo por de trás das palavras, que finda este meu eu incoerente que tento compreender... em cada curva, em cada momento, eu vago, e torno a vagar buscando o porquê de minhas atitudes, de minhas certezas incertas, com a dúvida que sempre vou carregar, deste meu eu que vai sempre estar.. presente em cada passo, neste meu eterno caminhar...

Anônimo disse...

...